Capacidade “de resolver problemas” é principal soft skill da atualidade

Capacidade “de resolver problemas” é principal soft skill da atualidade

‘Capacidade para resolver problemas’ é a Soft Skill mais valorizada em 2021, segundo a pesquisa ‘Global Talent Trends’, realizada pelo LinkedIn. O motivo para o destaque se deve em razão de o cotidiano das empresas exigirem cada vez mais autonomia, criatividade e resiliência.

Ser aquele a quem os colegas procuram, quando a situação está difícil, exige por vezes uma boa dose de bagagem profissional e jogo de cintura na hora de buscar soluções, sobretudo, diante de problemas complexos. Tal perfil exige, ainda, características como observação e atenção a detalhes, bem como elevado nível de raciocínio lógico e capacidade de analisar situações complexas por diferentes ângulos.

Destaque na pandemia

Desde 2020, diferentes cenários têm surgido em espaços de tempo cada vez mais curtos, e resolver problemas complexos e tomar decisões acertadas são essenciais não apenas para o crescimento, mas, sobretudo, para a sobrevivência das empresas. Desta forma, o mercado passou a exigir nos processos seletivos muito mais no quesito criatividade, diante da concorrência acirrada, e precisa de profissionais que possam responder com eficiência e eficácia aos diferentes desafios do cotidiano.

Com o cenário atual, de incertezas em relação ao futuro, as instituições buscam adequar seu planejamento a períodos mais curtos, com vistas a ter equilíbrio entre previsibilidade e tempo de reação. Por isso, profissionais capazes de reagir de forma rápida diante de incertezas têm sido cada vez mais procurados.

A capacidade de resolver demandas de forma assertiva está diretamente ligada à inteligência emocional, segundo o especialista em desenvolvimento humano, José Roberto Marques. Para ele, o quesito é essencial para fazer uma análise correta da situação e escolher as melhores maneiras de conduzir seu desfecho.

Ainda segundo Marques, pessoas reativas — as que agem de maneira impulsiva — são aquelas que também têm mais dificuldades quando o assunto é resolver os seus dilemas. Preferem terceirizar as responsabilidades ou deixar que os problemas se resolvam sozinhos.

Aos que procuram desenvolver a habilidade, o especialista aconselha sempre a traçar um planejamento de trabalho antes de iniciar uma atividade. Além disso, é preciso mostrar ao chefe e aos colegas, que eles podem contar com você para resolvê-los.

Se ao final, algo der errado, ele aconselha assumir a culpa e assim evitar o constrangimento de ser descoberto. “Esta postura demonstra maturidade e capacidade de enfrentar os problemas de frente. Se aplica a todos os setores de nossa vida, pois, quanto mais exercitamos a nossa capacidade de reagir aos acontecimentos, mais nos preparamos para lidar com novas dificuldades”, conclui.

Leon Santos
jornalista da revista RBA